Austríaco imitou voz de filha em telefonema para a mulher

quinta-feira, 1 de maio de 2008 11:28 BRT
 

AMSTETTEN, Áustria (Reuters) - O austríaco que prendeu sua filha em uma cela no porão de sua casa e teve sete filhos com ela, imitou a voz da jovem em um telefonema feito para sua mulher em 1994, disse uma autoridade policial na quinta-feira.

Na época, Elisabeth Fritzl estava presa há 10 anos na cela sem janelas, sem que sua mãe soubesse.

Imitando a voz da filha, Fritzl ligou para a mulher e pediu a ela que cuidasse do bebê de Elisabeth que havia sido deixado na porta da casa.

"Rosemarie Fritzl deu um depoimento sobre isso na delegacia de Amstetten, em 1994. Mais tarde, este depoimento foi levado ao escritório do promotor", disse à Reuters Reinhard Nosofsky, autoridade do departamento de polícia regional. "Ela não conseguia explicar a ligação e não a gravou. Agora, sabemos que foi Fritzl".

O escritório do promotor, responsável por crianças abandonadas e desaparecidas, tentou entrar em contato com Elisabeth, que tem hoje 42 anos.

"Eles não tinham motivo para vasculhar a casa ou pensar que ela estava em uma cela", disse Nosofsky. Ele afirmou que as autoridades também tinham um carta de Elisabeth, pedindo para que seus pais cuidassem de seu bebê e não procurassem por ela. A polícia hoje sabe que Fritzl a obrigou a escrever a carta.

Testes de DNA confirmaram que Fritzl, 73, é o pai de todos os seis filhos de Elisabeth. Os promotores o investigam por estupro, incesto, coerção e pela morte de uma sétima criança, cujos restos mortais foram incinerados.