Fluxo compensa bolsa e dólar tem leve baixa a R$1,562

sexta-feira, 1 de agosto de 2008 17:47 BRT
 

Por Fabio Gehrke

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar fechou em leve queda nesta sexta-feira, com um forte fluxo de entrada de recursos compensando a pressão sobre a moeda com o cenário deteriorado das bolsas de valores.

A moeda norte-americana registrou uma oscilação negativa de 0,06 por cento, encerrando a 1,562 real. Na semana, a divisa acumulou baixa de 0,76 por cento.

O dólar, que passou toda a sessão operando abaixo de 1,560 real por conta do fluxo de recursos, ensaiou uma recuperação nos últimos minutos da sessão com a forte piora dos mercados acionários.

Segundo Carlos Alberto Postigo, operador de câmbio do Banco Paulista, o dólar não tem "qualquer fator que possa impor recuperação de preço", principalmente devido às expectativas de aumento do diferencial entre os juros praticados interna e externamente.

E nesta sessão a tendência de queda do dólar ainda foi apoiada por uma forte entrada de recursos no país para a liquidação da compra de ativos da mineradora MMX pela Anglo American .

"(Hoje) é o fluxo da MMX. Já tem tido comentários há bastante tempo neste sentido e se você for considerar os movimentos do mercado acionário, o mercado de cambio está descolado em função desta operação de entrada", completou Postigo, ressaltando que nem mesmo a queda de mais de 3 por cento da Bovespa consegui dar suporte à moeda norte-americana.

Em janeiro a MMX, do empresário Eike Batista, concordou em vender para a Anglo o controle de dois projetos de minério de ferro de aproximadamente 5,5 bilhões de dólares. A liquidação do acordo deverá acontecer no dia 5 de agosto.

Milton Mota vai na mesma linha, afirmando que "o mercado (cambial) não tem força para subir muito".

"E (hoje) teve parte da entrada da Anglo para compra da MMX. Com essa entrada do Eike, o dólar derreteu", disse Milton Mota, operador da SLW Corretora, afirmando que na próxima semana ainda pode ter mais entrada de dólares para completar a operação.

Na última hora de negócios, o BC realizou um leilão de compra de dólares no mercado à vista, e definiu a taxa de corte a 1,5572 real.