PANORAMA2-Mercado reage com cautela a dados de emprego nos EUA

sexta-feira, 1 de agosto de 2008 17:30 BRT
 

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO, 1o de agosto (Reuters) - O relatório sobre o mercado de trabalho dos Estados Unidos deu sinais contraditórios e fez com que as bolsas de valores norte-americanas, já preocupadas com a alta do petróleo e com o prejuízo bilionário da General Motors, encerrassem a sexta-feira em queda.

O corte de 51 mil postos no mês passado foi inicialmente comemorado pelo mercado, que temia um resultado ainda pior. Mas julho foi o sétimo mês seguido de fechamento de vagas --sequência que, desde o fim da Segunda Guerra Mundial, só aconteceu em épocas de recessão.

No fim, prevaleceu a cautela sobre a situação econômica dos EUA.

"Isso confirma que o mercado de trabalho está se deteriorando e não há razão para acreditar que a tendência vá mudar ao longo dos próximos meses, nem dos próximos trimestres", disse Jean-Marc Lucas, economista do BNP Paribas, em Paris.

Em Wall Street, as ações foram influenciadas também pela alta do petróleo, que reagiu a uma piora da percepção sobre o Irã, e pelo prejuízo de 15,5 bilhões de dólares da General Motors (GM.N: Cotações) no segundo trimestre.

Na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), a baixa foi amplificada pelo tombo das ações ligadas a commodities. A Petrobras (PETR4.SA: Cotações) recuou 3,9 por cento e a Vale (VALE5.SA: Cotações) despencou 5,9 por cento.

O dólar, mesmo com o tumulto nas bolsas, fechou em leve baixa diante do real. O motivo apontado por agentes de mercado foi o ingresso de recursos para o acordo entre as mineradoras Anglo American (AAL.L: Cotações) e MMX MMXM3.SA, de Eike Batista.

No mercado de juros futuros, a divulgação de um índice mais ameno de inflação permitiu o recuo da maioria das taxas.   Continuação...