Indústria tem no 1o semestre maior alta desde 2004

sexta-feira, 1 de agosto de 2008 11:46 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A indústria brasileira fechou o primeiro semestre com a maior taxa de expansão desde 2004, puxada pelo bom desempenho da produção de bens de capital e de consumo duráveis.

A produção das indústrias no país cresceu 2,7 por cento em junho frente a maio, o que garantiu expansão de 6,3 por cento no primeiro semestre, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira.

"O resultado do primeiro semestre de 2008 confirmou o padrão de crescimento da indústria ao longo deste ano, com o maior dinamismo vindo dos setores produtores de bens de capital e de bens de consumo duráveis", destacou o IBGE em comunicado.

O crescimento registrado na primeira metade do ano foi o maior registrado desde o primeiro semestre de 2004, quando a indústria avançou 8,3 por cento.

A produção de bens de capital --um importante indicador do nível de investimento no país-- cresceu 17,1 por cento nos primeiros seis meses do ano. No segmento de bens de consumo duráveis, o avanço foi de 13,9 por cento, impulsionado pelo setor automobilístico, segundo o economista Silvio Sales, do IBGE.

Na véspera, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) já havia mostrado que o ritmo de atividade do setor no segundo trimestre do ano mantinha-se em franca ascensão.

PRODUÇÃO RECORDE

O crescimento da produção industrial em junho ficou levemente acima das estimativas de analistas consultados pela Reuters, que esperavam avanço de 2,6 por cento.   Continuação...