ANTT aprova propostas da OHL, Acciona e BRVias para rodovias

quinta-feira, 1 de novembro de 2007 10:35 BRST
 

Por Sérgio Spagnuolo

SÃO PAULO (Reuters) - A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) homologou todas as propostas vencedoras feitas pelos sete lotes de rodovias federais no leilão de 9 de outubro na Bolsa de Valores de São Paulo, informou a agência em comunicado divulgado nesta sexta-feira.

Com isso, a OHL Brasil, subsidiária do grupo espanhol OHL, leva os cinco lotes que disputou no leilão. A espanhola Acciona e o consórcio brasileiro BRVias também tiveram suas propostas confirmadas.

Segundo a nota, eventuais recursos contra a homologação serão aceitos entre os dias 5 e 9 de novembro. A ANTT chegou a adiar por duas vezes o resultado da avaliação técnica das ofertas. A ousadia de alguns dos lances vencedores provocou reação de investidores que tiveram propostas derrotadas.

A ANTT licitou 2.600 km de rodovias federais, para as quais espera investimentos de 19,8 bilhões de reais ao longo dos 25 anos de duração das concessões. As licitações foram vencidas pelas empresas que cobraram o menor preço de pedágio.

A OHL surpreendeu no leilão com as baixas tarifas propostas e chegou a oferecer um deságio de até 65 por cento, levando os seguintes trechos: São Paulo-Curitiba da BR-116 (Régis Bittencourt), com pedágio de 1,364 real; São Paulo-Belo Horizonte da BR-381 (Fernão Dias), com pedágio de 0,997 real; Curitiba-Florianópolis das BRs-116/376/101, com pedágio de 1,028 real; Divisa ES/RJ-Ponte Rio-Niterói da BR-101, com pedágio de 2,258 reais; e Curitiba-Divisa SC da BR-116, com pedágio de 2,540 reais.

O consórcio BRVias --formado pela Splice, do empresário Antônio Beldi, grupo Áurea, da família Constantino, e da construtora Walter Torre-- levou a BR-153, dispondo-se a cobrar 2,450 reais de pedágio nas quatro praças do trecho de 321,6 km que se estende da divisa São Paulo-Minas Gerais à divisa São Paulo-Paraná.

O consórcio Acciona obteve o último trecho leiloado, oferecendo cobrar 2,940 reais nas três praças de pedágio dos 200,35 km da BR-393 no Rio de Janeiro.