Alckmin bate em Kassab e os dois atacam Marta em debate

sexta-feira, 1 de agosto de 2008 07:05 BRT
 

Por Carmen Munari

SÃO PAULO, 1o de agosto (Reuters) - No primeiro debate entre os candidatos à prefeitura de São Paulo na campanha eleitoral deste ano, o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) partiu para o ataque e criticou a gestão do prefeito da cidade, Gilberto Kassab (DEM), que revidou.

Os dois, que disputam o apoio do PSDB, também não pouparam a ex-prefeita Marta Suplicy (PT), que procurou aliar sua imagem ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, além de pregar parceria com o governador paulista José Serra (PSDB).

Realizado pela TV Bandeirantes na quinta-feira à noite, o debate de mais de duas horas reuniu oito dos onze candidatos que disputam a vaga de prefeito na cidade. O grande número de adversários tornou o programa arrastado e levou candidatos a passar largo tempo sem se manifestar.

"A cidade de São Paulo está escura. Nós temos ainda aquelas lâmpadas antigas, aquelas luminárias de mercúrio", afirmou Alckmin, empatado na liderança das intenções de voto com Marta. Disse ainda que uma cidade "feéricamente" iluminada ajuda a combater a violência e a segurança pública.

Kassab, terceiro colocado nas pesquisas, não perdoou e culpou a privatização na área de energia elétrica realizada por Alckmin no governo do Estado. "Foi no seu governo, quando praticamente não colocou (na venda) a obrigação de trocar as lâmpadas".

O setor de saúde, a maior reclamação do paulistano segundo pesquisa recente, foi tão ou mais debatido do que o trânsito. Para Alckmin, "é preciso recuperar o atendimento primário, as UBS (Unidades Básicas de Saúde, os postos)", em nova crítica a Kassab.

Alckmin também mostrou munição contra Marta. "Deu muito trabalho recuperar a prefeitura", disse, referindo-se ao período de José Serra, que recebeu a prefeitura de Marta em 2004 e dois anos depois saiu para disputar o governo do Estado, quando Kassab, seu vice, assumiu a gestão. O tucano afirmou que a ex-prefeita teve problemas para pagar a dívida pública da cidade.

Afirmando serem "mentiras e inverdades", Marta disse que deixou recursos em caixa e não entende porque a administração seguinte deixou de pagar os fornecedores. Em entrevista após o debate, Alckmin disse que vai divulgar documentos que provam os problemas nas contas do município.   Continuação...