Cautela e muitos candidatos tornam debate morno em São Paulo

sexta-feira, 1 de agosto de 2008 09:54 BRT
 

Por Carmen Munari

SÃO PAULO (Reuters) - Mesmo com os confrontos entre os principais candidatos, o debate da TV Bandeirantes, realizado na noite de quinta-feira, foi morno e comportado. Para os principais assessores dos políticos, que acompanharam o programa no auditório da emissora, o resultado é fruto do excesso de participantes e da cautela.

"Eles ainda não se conhecem, por isso são cautelosos", disse José Américo, jornalista e presidente do PT municipal.

Ele aconselhou a petista Marta Suplicy a evitar o confronto direto com seu principal adversário, Geraldo Alckmin (PSDB), o que foi seguido.

O número elevado de debatedores --oito candidatos dos onze que estão na disputa-- foi apontado pelo presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra, como um empecilho para a discussão.

"É difícil você ter uma discussão mais intensa e mais esclarecedora com a presença de muitos candidatos", disse. "Você começa uma discussão e não encaixa, porque logo surge uma lá na frente e depois outra".

Para o ex-governador de São Paulo, Orestes Quércia, presidente estadual do PMDB, "os candidatos têm medo de passar uma certa linha e perder ponto". O PMDB está coligado com o prefeito Gilberto Kassab (DEM).

A coisa foi tão tranquila que o mediador Boris Casoy não precisou intervir uma única vez. Paulo Maluf (PP) foi o único a pedir direito de resposta e, mesmo não sendo atendido, não reclamou.

Na platéia do debate, toda formada por convidados dos candidatos, os representantes dos partidos e seus coligados se dividiam em blocos.   Continuação...

 
<p>Debate entre candidatos a prefeito de S&atilde;o Paulo no canal de TV Band, na noite de quinta-feira, 31 de julho. Quantidade de candidatos e cautela tornaram a discuss&atilde;o morna. Photo by $Byline$</p>