Isenção da CPMF pode atingir até 90% da população, diz Mantega

quinta-feira, 1 de novembro de 2007 11:35 BRST
 

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou nesta quinta-feira que a isenção da CPMF, em estudo pelo governo, pode livrar 80 a 90 por cento da população da cobrança do chamado imposto do cheque.

A declaração foi dada pelo ministro durante audiência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, que analisa a emenda da prorrogação antes de sua votação pelo plenário.

Na quarta-feira, Mantega apresentou a líderes do PSDB e da base governista a proposta de insentar da cobrança da CPMF todas as pessoas com renda mensal de até 1.640 reais.

Durante a apresentação, o ministro voltou a afirmar que não considera a alíquota da CPMF --atualmente em 0,38 por cento-- muito expressiva.

"Tanto que a maioria das pessoas não sabe quanto paga de CPMF", justificou.

Mantega também confirmou que o governo estuda reduzir a tributação sobre a folha de pagamento usada para financiar o Sistema S (Sesi, Senai, Sesc).

O ministro voltou a afirmar que o governo não tem condições de abrir mão da arrecadação da CPMF sem fazer cortes "dramáticos" nos investimentos e em programas sociais.

O imposto do cheque garante aos cofres públicos cerca de 38 bilhões de reais por ano. O governo precisa aprovar até dezembro a proposta de emenda constitucional que garante a cobrança do tributo até 2011, com a atual alíquota.

A proposta já foi aprovada na Câmara e agora precisa ser votada pelo Senado. O PSDB, peça-chave na aprovação, vai analisar as propostas.

(Por Isabel Versiani)