Superávit comercial cai a US$2,7 bi em junho

terça-feira, 1 de julho de 2008 18:28 BRT
 

SÃO PAULO/BRASÍLIA (Reuters) - A balança comercial brasileira fechou junho com superávit de 2,719 bilhões de dólares, acima do esperado por analistas, mas bem abaixo dos resultados registrados no mês anterior e em junho de 2007.

A retração refletiu um crescimento das importações em ritmo bem superior ao das exportações --tendência verificada desde o início do ano em meio ao cenário de demanda interna aquecida e valorização do real.

No primeiro semestre, as importações cresceram 51,8 por cento, maior ritmo para o período desde 1995, quando tiveram alta de 92 por cento. As exportações aumentaram 24,3 por cento no primeiro semestre, maior elevação desde 2004 (+31,3 por cento), para 90,645 bilhões de dólares.

"Nosso esforço agora é para continuar o aumento das exportações", afirmou a jornalistas nesta terça-feira o secretário de Comércio Exterior, Welber Barral, reiterando que a meta do governo de exportar 180 bilhões de dólares em 2008 deverá ser revista nos próximos dias.

Em junho, as exportações somaram 18,594 bilhões de dólares, o correspondente a 885,4 milhões de dólares de média por dia útil. O crescimento foi de 35 por cento na comparação com junho de 2007.

As importações, por sua vez, totalizaram 15,875 bilhões de dólares, o equivalente a uma média por dia útil de 756 milhões de dólares --alta de 62,6 por cento ante o mesmo mês do ano passado.

Analistas ouvidos pela Reuters apostavam em superávit comercial de 2,25 bilhões de dólares para junho.

Em maio, a balança comercial havia registrado um superávit de 4,075 bilhões de dólares, número recorde para o mês, inflado por exportações feitas no mês anterior mas registradas com atraso por conta da greve dos auditores fiscais da Receita Federal.

Em junho de 2007, o saldo foi positivo em 3,821 bilhões de dólares.   Continuação...