Dólar abre mês em queda e atinge mínima desde novembro

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008 16:53 BRST
 

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar caiu para o menor nível em dois meses e meio nesta sexta-feira, influenciado por operações de arbitragem e pela entrada de recursos no país.

A moeda norte-americana recuou 0,80 por cento, para 1,746 real. É a menor cotação de fechamento desde 16 de novembro.

O mercado de câmbio monitorou o comportamento de Wall Street, mas ele se dividiu entre o otimismo com a oferta de 44,6 bilhões de dólares feita pela Microsoft para comprar o Yahoo e o pessimismo provocado pelos dados fracos sobre o mercado de trabalho norte-americano.

Enquanto se encerravam as operações com o dólar, as bolsas em Nova York operavam perto do zero a zero. Depois disso, os principais índices ganharam um pouco mais de fôlego.

Sem uma pressão clara do exterior, abriu-se espaço para chamadas operações de arbitragem. Nelas, os investidores lucram com a diferença entre os juros praticados no Brasil e no exterior. Segundo Sidnei Nehme, diretor-executivo da NGO Corretora, essa operações têm representado atualmente a maior pressão negativa sobre a taxa de câmbio.

Roberto Padovani, estrategista de investimentos sênior para a América Latina do banco WestLB do Brasil também vê influência do diferencial de juros. "Tem pessoas que olham os fundamentos e percebem que (o real) pode se apreciar mais", explicou o economista.

Uma operadora de um banco estrangeiro comentou ainda que o ingresso de recursos no país contribuiu para a queda do dólar nesta sessão. Segundo ela, porém, a liquidez diminuiu à tarde, com a proximidade do Carnaval.

No final da primeira etapa de negócios, o Banco Central realizou um leilão de compra de dólares no mercado. Na operação, a autoridade monetária definiu corte a 1,7436 real e aceitou, segundo operadores, entre uma e duas propostas.