Lula diz que petróleo gera crise e critica discriminação

domingo, 1 de junho de 2008 14:04 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse em Roma, no domingo, que a alta dos preços do petróleo é o fator responsável pela crise dos alimentos no mundo, segundo a Agência Brasil.

Daqui a dois dias, Lula fará um discurso em defesa dos biocombustíveis na conferência da FAO, a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação.

"A situação está insuportável, os países estão gastando grande parte do seu orçamento com importação de petróleo", disse Lula a jornalistas, segundo a Agência Brasil.

"Queremos é que o conjunto de países e empresas de petróleo comece a fazer uma reflexão sobre o petróleo e trazer países produtores e consumidores para que se encontre um denominador comum, qual o preço compatível para os países pobres que estão cada vez mais em dificuldade", disse o presidente.

Para Lula, grandes produtores de biocombustíveis, como o Brasil, têm de mostrar que eles não são os responsáveis pela crise mundial de alimentos.

"Cabe ao Brasil, que é um centro de excelência na produção de etanol, provar que é plenamente possível compatibilizar produção de etanol com produção de alimento(...). Nenhum país do mundo vai passar dificuldade por causa da produção de biocombustível", afirmou.

SEM PRECONCEITO

Lula aproveitou a entrevista para criticar a discriminação contra imigrantes brasileiros no exterior, dias depois de o premiê italiano, Silvio Berlusconi, ter anunciado duras medidas contra a imigração ilegal.

"Toda vez que alguém quiser perseguir um brasileiro tem de lembrar que o Brasil age com coração de mãe. Aquele país recebeu muito bem italianos, espanhóis, portugueses, chineses, coreanos, bolivianos, alemães. Não queremos nada mais. Só queremos que as pessoas nos tratem como os tratamos a vida inteira", disse o presidente, segundo a Agência Brasil.

Entre as novas medidas anunciadas pela Itália estão o aumento da pena para quem cometer crimes e o pagamento de multas.

(Por Marjorie Rodrigues; Edição de Denise Luna)

 
<p>Lula ao chegar a Roma, em 31 de maio de 2008. Photo by Alessandro Bianchi</p>