Apesar de dólar fraco, governo eleva previsão de exportação

quinta-feira, 1 de novembro de 2007 16:54 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - O governo elevou nesta quinta-feira sua previsão para as exportações brasileiras em 2007, devido à forte performance mostrada ao longo do ano, apesar da queda do dólar.

O prognóstico do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior foi revisto de 155 bilhões de dólares para 157 bilhões de dólares, segundo o secretário de comércio exterior, Welber Barral.

"A evolução positiva das exportações e o momento positivo das exportações levam a uma revisão da meta", disse ele. As exportações nos primeiros 10 meses do ano acumulam uma alta de 16,5 por cento em relação ao apurado no mesmo período de 2006. As importações têm alta de 29,8 por cento.

Barral explicou que as exportações seguem em alta apesar do dólar fraco porque as empresas brasileiras são hoje mais competitivas e já aumentaram a rede de distribuição no exterior, ganhando mais mercado.

Ele afirmou que a estimativa para o superávit comercial segue em torno de 40 bilhões de dólares para este ano.

A revisão foi feita após a divulgação dos dados da balança comercial de outubro.

O Brasil encerrou o mês com um superávit comercial de 3,439 bilhões de dólares, levemente abaixo do resultado de setembro, quando a balança teve saldo positivo de 3,471 bilhões de dólares. Foi o segundo mês seguido de queda.

As exportações em outubro somaram 15,769 bilhões de dólares, enquanto que as importações totalizaram 12,330 bilhões de dólares.

No ano, a balança comercial acumula saldo positivo de 34,376 bilhões de dólares. No mesmo período do ano passado, o saldo acumulado era de 38,166 bilhões de dólares.

Barral lembrou que sazonalmente o superávit comercial diminuiu nos últimos meses do ano.