China: há evidências que ligam protestos em Lhasa a estrangeiros

terça-feira, 1 de abril de 2008 07:43 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - A China afirmou na terça-feira que reuniu evidências "suficientes" para provar que grupos tibetanos no exílio organizaram e promoveram um protesto recente em Lhasa, capital do Tibet, instigados pelo Dalai Lama.

A China acusa o líder espiritual tibetano pelas marchas de monges em Lhasa, que se tornaram violentos no dia 14 de março, levando a saques de lojas chineses e incêndios de carros. Os episódios geraram tensões em várias regiões de etnia tibetana da China.

A China afirma que pelo menos 19 pessoas morreram em Lhasa. Os representantes do Dalai Lama afirmam que o número de mortos se aproxima de 140.

O Ministério da Segurança Pública chinês disse ter capturado "importantes suspeitos" estritamente relacionados à "camarilha do Dalai" e reuniu evidências que provam que as manifestações foram organizados por grupos tibetanos que operam no exterior.

(Reportagem de Chris Buckley)

 
<p>Ativista tibetano &eacute; detido pela pol&iacute;cia em protesto do lado de fora da ermbaixada chinesa em Kathmandu, Nepal, no dia 1o de abril. Photo by Gopal Chitrakar</p>