ESPECIAL-Obra decide eleição de véspera em cidade do Piauí

quarta-feira, 1 de outubro de 2008 16:25 BRT
 

Por João Henrique Bezerra

TERESINA, 1o de outubro (Reuters) - Os 2.432 eleitores de Vila Nova só têm uma opção de voto para eleger seus representantes na eleição de domingo nesta cidade do semi-árido do Piauí. Um acordo entre lideranças políticas da cidade gerou uma chapa única, com um candidato a prefeito, outro para vice e nove para vereador, o número exato de cargos em disputa.

"Eu nunca tinha visto algo parecido", afirmou o cientista político Cleber de Deus, salientando que é mais um caso inédito para a política piauiense. "Inédito e ruim", acrescentou.

O fato inusitado e típico do clientelismo político se deve à construção de uma barragem na cidade, que uniu os sete partidos com representação local. Antes da chapa única, eram dois candidatos a prefeito e 23 a vereador.

De acordo com o vereador Reinaldo Jovelino (PMDB), que lançou candidatura para prefeito, mas a retirou para apoiar o candidato oficial, a chapa é para o bem do povo.

"Esse acordo visa a barragem que o deputado federal Marcelo Castro (PMDB-PI) conseguiu para nossa cidade. São mais de R$ 4 milhões para a construção da obra, que era aguardada há anos pela população", disse ele, explicando que o objetivo da aliança é evitar disputas que possam prejudicar a obra.

Embora seja do mesmo partido do deputado federal, Marcelo não tinha seu apoio direto. O candidato preferido e que se confirmou como único postulante à prefeitura é José Naves Rocha (PSB).

Uma vantagem, segundo os candidatos e líderes dos partidos, é o fato de terem gastos reduzidos com campanha eleitoral - a cidade não tem horário político e são poucos os candidatos que gastaram algo com publicidade. Afinal, como estão todos eleitos, não é preciso dispender grandes valores na campanha. O candidato a prefeito, por exemplo, gastou 8 mil reais, menos de 11 por cento do seu patrimônio declarado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Já os candidatos a vereador quase não gastaram nada. A soma dos investimentos dos nove vereadores não chega a 15 mil reais, o que pode ser verificado nas ruas da cidade. Não existem cavaletes, bandeiras ou santinhos de candidatos espalhados. "Até parece que não vai ter eleição", disse o agricultor Antônio Rodrigues, 33 anos.   Continuação...