1 de Outubro de 2008 / às 20:30 / 9 anos atrás

CONSOLIDA-Dados industriais nos EUA indicam níveis de recessão

Por Burton Frierson

NOVA YORK, 1o de outubro (Reuters) - A atividade industrial norte-americana encolheu em setembro para o menor nível desde a recessão de 2001, e empregadores privados fecharam vagas pela terceira vez em quatro meses com a crise financeira se intensificando na maior economia do mundo.

O setor privado cortou 8 mil empregos em setembro, de acordo com relatório da ADP Employer Services que não captou o impacto do caos financeiro das últimas semanas.

O Instituto de Gestão do Fornecimento (ISM, na sigla em inglês) informou que seu índice de atividade nacional caiu para 43,5 no mês passado, ante 49,9 em agosto. O dado ficou abaixo da marca de 50,0 que separa contração de expansão.

Foi a pior leitura desde os 40,8 de outubro de 2002, quando a economia ainda era atingida pela última recessão.

As indústrias vinham se mantendo relativamente bem na atual desaceleração devido à alta das exportações, mas o relatório indicou a economia global sofrendo fortemente.

“Pela primeira vez, (o cenário) está realmente começando a parecer uma recessão”, afirmou Marc Pado, estrategista de mercado da Cantor Fitzgerald.

“Talvez nós não tenhamos esse número no quarto trimestre necessariamente, mas será difícil neste momento evitar uma recessão.”

QUADRO DE FRAQUEZA

O relatório do ISM pintou um quadro abrangente de fraqueza, que pode piorar se a turbulência no setor financeiro tornar ainda mais apertadas as condições de crédito.

O componente de emprego do ISM atingiu o menor nível desde abril de 2003. A perspectiva também é obscura, com o índice de encomendas afundando para o menor patamar desde janeiro de 2001 e o de exportações recuando para a mínima desde julho de 2006.

Enquanto isso, as demissões planejadas por empresas norte-americanas subiram 7,2 por cento ante o mês anterior e saltaram 33 por cento frente ao mesmo período do último ano, segundo um relatório da empresa de consultora Challenger, Gray & Christmas.

Os cortes de empregos em setembro elevaram o total de demissões no terceiro trimestre para 287.142, o maior número trimestral desde o quarto trimestre de 2005.

Mas os números podem não refletir inteiramente o trauma financeiro, que incluem o colapso do Lehman Brothers e do Washington Mutual.

“Pode levar diversas semanas ou meses para que os efeitos da turbulência de setembro em Wall Street atinjam os números de emprego”, disse John A. Challenger, presidente-executivo da Challenger, Gray & Christmas.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below