Kassab e Marta miram 2o turno e Alckmin ataca na despedida da TV

quarta-feira, 1 de outubro de 2008 21:53 BRT
 

SÃO PAULO, 1o de outubro (Reuters) - No último programa do horário eleitoral gratuito, os líderes das pesquisas de intenção de voto para a prefeitura de São Paulo, Marta Suplicy (PT) e Gilberto Kassab (DEM), indicaram que esperam enfrentar um ao outro no segundo turno, enquanto Geraldo Alckmin (PSDB) pediu uma comparação entre ele e o atual prefeito para decidir quem enfrenta a petista.

Marta e Kassab fizeram programas de despedida antes da votação de domingo focados nas suas realizações à frente da prefeitura e em um discurso esperançoso sobre o futuro da cidade. Alckmin pediu que o eleitor o compare com Kassab, cuja candidatura à reeleição dividiu o PSDB.

O candidato dos Democratas foi eleito vice em 2004 na chapa de José Serra, que mais tarde deixou o cargo para vencer as eleições para governador, em 2006.

"Eu e o atual prefeito estamos em uma disputa muito acirrada para ver quem vai ao segundo turno disputar com o PT... Sei que existem muitas dúvidas na sua cabeça por conta da propaganda maciça do atual prefeito, que durante toda essa campanha vendeu a imagem de que é o candidato do PSDB, o que não é verdade", disse Alckmin em seu programa.

"Gostaria muito que você voltasse no tempo, fizesse um exercício de memória e comparasse a minha história e de quem sempre estive ao lado com a história de com quem o Kassab construiu a sua vida política", afirmou o tucano, depois de mostrar depoimentos de familiares e fazer críticas à gestão atual na área da saúde.

O programa do prefeito-candidato Kassab citou a pesquisa Datafolha divulgada nesta quarta-feira, segundo a qual ele aparece com vantagem em relação a Marta, embora dentro da margem de erro, na provável disputa de segundo turno.

"Só Kassab pode vencer a Marta", diz o locutor, que logo depois colocou o candidato dos Democratas como vítima dos rivais por estar crescendo nas pesquisas.

"A Marta atacou, o Geraldo atacou. Foi ataque pra chuchu", disse.

Tida como certa no segundo turno, Marta mostrou em seu último programa antes de domingo um depoimento do presidente Luiz Inácio Lula da Silva pedindo votos para ela. A candidata também faz um longo discurso declarando seu amor à cidade, em meio a críticas à atual administração paulistana.

Depois de pedir votos para os que já fizeram isso em outras eleições, a petista, que conta com rejeição de 35 por cento, de acordo com a sondagem do Datafolha, diz: "Para você que nunca votou em mim, me dá uma chance. Eu prometo que não vou te decepcionar".

(Reportagem de Maurício Savarese; Edição de Mair Pena Neto)