BOLSA EUA-Mercado abre em queda puxado pelas ações financeiras

quinta-feira, 1 de novembro de 2007 11:39 BRST
 

NOVA YORK, 1o de novembro (Reuters) - As bolsas de valores dos Estados Unidos abriram em baixa nesta quinta-feira, depois que uma avaliação negativa do Citigroup (C.N: Cotações) e baixas contábeis do Credit Suisse sugeriram que a crise hipotecária pode ainda fazer mais vítimas.

A queda era reforçada pela Exxon Mobil (XOM.N: Cotações), que divulgou lucros menores que o esperado, e pelo petróleo, que chegou a ser cotado a 96 dólares por barril.

Às 11h38 (horário de Brasília), o índice Dow Jones .DJI, referência da bolsa de Nova York, recuava 1,25 por cento, para 13.754 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq .IXIC caía 1,20 por cento, para 2.824 pontos. O índice Standard & Poor's 500 .SPX tinha queda de 1,46 por cento, para 1.526 pontos.

O mercado se preparava para devolver os ganhos da véspera, quando o Federal Reserve cortou a taxa básica de juros em 0,25 ponto percentual para 4,5 por cento.

O Credit Suisse afirmou que o lucro como banco de investimento no terceiro trimestre foi afetado por baixas contábeis em compromissos ligados a crédito alavancado, hipotecas residenciais e obrigações colateralizadas de dívida.

Em outro sinal de problemas para as ações financeiras, a CIBC World Markets rebaixou o Citigroup para "abaixo do desempenho do setor". O maior banco norte-americano também viu sua nota cair no Credit Suisse, de "acima da média" para "neutro".

A CIBC reduziu também a avaliação do Bank of America (BAC.N: Cotações) para "em linha com o desempenho do setor", dizendo que espera uma menor projeção de receita para o banco.

"Quando você tem as maiores, e supostamente mais seguras, companhias financeiras sendo acusadas de não ter capital suficiente, o que você vai dizer dos outros bancos?", disse Peter Boockvar, estrategista de ações da Miller Tabak, em Nova York. "É uma questão importante e não é apenas sobre o Citigroup. Todos esses bancos têm o mesmo problema."