Bolsas da Ásia seguem otimismo internacional e disparam

quarta-feira, 2 de abril de 2008 08:00 BRT
 

Por Tom Miles

HONG KONG (Reuters) - Os mercados asiáticos tiveram uma quarta-feira positiva, com Tóquio disparando 4 por cento, conforme os investidores voltaram a procurar o mercado de ações depois que um levantamento de 4 bilhões de dólares pelo Lehman Brothers foi visto como um sinal de que o pior da crise de crédito possa ter passado.

O índice MSCI que reúne mercados da Ásia-Pacífico exceto Japão subiu 3,1 por cento, liderado por bancos que ganharam impulso com o anúncio do Lehman.

O principal indicador da bolsa de TÓQUIO fechou em forte valorização de 4,2 por cento, ganho mais elevado desde janeiro.

"Os compradores, que estavam afastados pelos temores da crise de crédito, literalmente fizeram o mercado disparar na sessão. Estamos vendo um movimento de compra pelo alívio", afirmou Cho Sang-ho, analista de mercado na Samsung Securities, em Seul.

O índice MSCI da Ásia-Pacífico acumulou queda de 14 por cento no primeiro trimestre, a pior desvalorização em cinco anos, depois que os medos sobre a economia global e a crise de crédito abalaram a confiança dos investidores.

Uma baixa contábil de 19 bilhões de dólares do UBS reforçou a visão de que os bancos estão agressivamente se desvencilhando de investimentos atrelados ao mercado de moradias norte-americano, o que pode marcar a mudança de tendência depois de meses de sofrimento.

"O mercado de algum modo ficou mais confiante de que os bancos podem superar essa crise", afirmou Kosuke Hanao, chefe de venda cambial no HSBC. "A recuperação do dólar pode continuar por um mês."

Contudo, os temores de que a saúde da economia dos Estados Unidos possa afetar os mercados globais ao longo do ano ainda não se foram. Na terça-feira, dados do setor manufatureiro mostraram continuação de retração e números de emprego, a serem divulgados na sexta-feira, podem ainda atingir os mercados.

A bolsa de SEUL subiu 2,35 por cento, HONG KONG avançou 3,18 por cento, XANGAI teve alta de 0,56 por cento e TAIWAN se valorizou em 2,2 por cento. Em CINGAPURA, o mercado cresceu 1,3 por cento e SYDNEY fechou em alta de 2,6 por cento, no maior patamar mensal, com o banco de investimento Macquarie Group avançando 9,9 por cento.