Balança tem maio recorde com fim de greve de auditores

segunda-feira, 2 de junho de 2008 17:42 BRT
 

Por Isabel Versiani

BRASÍLIA (Reuters) - A balança comercial fechou maio com um superávit de 4,077 bilhões de dólares, resultado recorde histórico para o mês, inflado por exportações feitas no mês anterior mas registradas com atraso por conta da greve dos auditores fiscais da Receita Federal.

As exportações somaram 19,306 bilhões de dólares no mês passado, contra importações de 15,229 bilhões de dólares, mostraram números do Minstério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior nesta segunda-feira.

"A balança está ótima, mas parte dos registros das exportações diz respeito a embarques que ocorreram em abril", afirmou a jornalistas o secretário de Comércio Exterior, Welber Barral.

O ministério estimou em cerca de 1,2 bilhão de reais o volume de mercadorias cujos registros de exportação estavam represados e foram agora desovados com o fim, em 12 de maio, da greve de cerca de dois meses dos auditores. A maior parte desse volume corresponde a embarques de produtos básicos.

Mesmo excluindo este movimento atípico, as exportações ainda seriam as maiores já registradas em um mês. O saldo comercial, contudo, seria inferior ao registrado em maio de 2007, de 3,853 bilhões de dólares, repetindo tendência já verificada nos primeiros quatro meses do ano.

No ano, o país acumula agora um superávit comercial de 8,655 bilhões de dólares, resultado 47,3 por cento inferior aos 16,758 bilhões de dólares registrados no mesmo período de 2007.

No mesmo período, as exportações cresceram 22,2 por cento na comparação pela média diária, enquanto as importações aumentaram 49,2 por cento.

A expectativa de Barral é que as vendas externas sigam se acelerando como reflexo da elevação de preços de commodities exportados pelo país e também com o impacto da política industrial anunciadas pelo governo em maio.   Continuação...