2 de Outubro de 2008 / às 20:37 / em 9 anos

CÂMBIO-Especulação se soma a pânico por crise e dólar supera R$2

(Texto atualizado com mais informações e comentários de analistas)

Por Fabio Gehrke

SÃO PAULO, 2 de outubro (Reuters) - O dólar fechou acima de 2 reais pela primeira vez desde agosto de 2007 nesta quinta-feira, pressionado pelas apostas dos investidores no mercado futuro contra o real em meio aos temores sobre a saúde da maior economia do mundo em um momento de incertezas sobre a eficácia do pacote de ajuda aos bancos nos Estados Unidos.

A moeda norte-americana BRBY decolou 5 por cento, a 2,021 real, maior fechamento desde 22 de agosto de 2007.

Dados sobre o mercado de trabalho e encomendas à indústria norte-americanos definiram o tom pessimista desta sessão logos nos primeiros negócios do mercado cambial.

"Não vamos ter sossego, quanto mais demora esse plano a situação se deteriora mais", afirmou Reginaldo Galhardo, gerente de câmbio da Treviso Corretora de Câmbio.

"Estamos vendo cada vez mais empresas fora do setor financeiro perdendo também", completou o gerente, lembrando o caso da General Electric que divulgou na quarta-feira que está vendendo até 15 bilhões de dólares em ações para cobrir perdas com seu braço financeiro.

Nesta quinta-feira, a Bovespa chegou a cair quase 10 por cento, refletindo os péssimos desempenhos das bolsas norte-americanas.

"Mas aqui existe uma certa especulaçao sobre o mercado", afirmou Galhardo ressaltando que muitos investidores estrangeiros estão aplicando em renda fixa e comprando dólar no mercado futuro como operação de hedge.

Sidnei Nehme, diretor-executivo da NGO Corretora de Câmbio, possui avaliação similar: "No mercado físico não tem nenhum problema de liquidez", disse Nehme.

Segundo o diretor, os dados divulgados pelo Banco Central na quarta-feira com um fluxo cambial positivo no país durante os primeiros 20 dias úteis de setembro, mês no qual o dólar decolou quase 17 por cento, mostram essa situação.

Ele ponderou, no entanto, que algumas linhas de crédito na moeda norte-americana começam a apresentar escassez. Além disso, ressaltou, "nos mercados futuros da BM&F é que temos um problema sério".

"Temos uma forte posição montada apostando contra o real", disse Nehme.

Segundo os últimos dados divulgados pela Bolsa de Mercadorias & Futuros Bovespa, os investidores detinham o equivalente a aproximadamente 6,67 milhões de dólares em posições compradas na quarta-feira.

"Não tem fundamento ruim no mercado (doméstico) mas o mercado físico (à vista) fica contaminado (por estas apostas)."

Ambos os analistas acreditam que o Banco Central precisa atuar de forma mais incisiva no mercado, ampliando os leilões de venda de dólar com compromisso de recompra, alem de expandir os seus prazos, como forma de romper a parcela especulativa da alta da divisa.

O BC realizou leilões de venda de dólares nas duas últimas sexta-feiras, fornecendo um total de 1 bilhão de dólares ao mercado.

Edição de Alexandre Caverni

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below