Preocupações com crise de crédito derrubam Wall St

segunda-feira, 2 de junho de 2008 18:07 BRT
 

Por Kristina Cooke

NOVA YORK (Reuters) - As bolsas norte-americanas fecharam em queda nesta segunda-feira com temores renovados com a crise de crédito após o Standard & Poor's rebaixar três grandes instituições financeiras e o Wachovia, quarto maior banco norte-americano, afastar seu presidente-executivo.

O índice Dow Jones teve baixa de 1,06 por cento, a 12.503 pontos. O Standard & Poor's 500 caiu 1,05 por cento, a 1.385 pontos. O Nasdaq retrocedeu 1,23 por cento, a 2.491 pontos.

A pressão já surgia antes da abertura de Wall Street, particularmente para ações financeiras, com o mercado europeu caindo após o concessor de hipotecas britânico Bradford & Bingley afirmar que o mercado de hipotecas do Reino Unido está se deteriorando rapidamente.

As ações do Lehman Brothers, Morgan Stanley e Merrill Lynch caíram fortemente após a S&P rebaixar a avaliação das instituições e sinalizar que elas, que já registraram baixas contábeis de mais de 350 bilhões de dólares em perdas relacionadas as hipotecas de alto risco no mundo todo, ainda estão vulneráveis.

Dados econômicos acrescentaram pessimismo à sessão. A atividade industrial contraiu-se em maio pelo quarto mês consecutivo e as pressões inflacionárias subiram para o maior nível em quatro anos, elevando os temores de que a economia pode estar caminhando para uma estagflação.

"Os problemas no setor financeiro continuam aparecendo no primeiro plano. É apenas uma lembrança de que a crise de crédito não acabou", disse Eric Kuby, vice-presidente de investimento da North Star Investiment Management.

"E sobre a inflação, tem muitas coisas para as pessaos se preocuparem."