2 de Outubro de 2008 / às 13:32 / 9 anos atrás

EXCLUSIVA-Kingsman prevê déficit global de açúcar maior em 08/09

Por David Brough

LONDRES, 2 de outubro (Reuters) - A consultoria Kingsman revisou nesta quinta-feira a estimativa sobre o déficit global de açúcar em 2008/09 para quase 4,7 milhões de toneladas, ante a previsão anterior de 3,8 milhões de toneladas.

A projeção de déficit foi aumentada depois que as perspectivas de produção foram prejudicadas pelas tempestades em Cuba, Louisiana e Texas.

"Os dados atualizados da relação anual de oferta/demanda em 2008/09 mostram que a previsão de déficit saltou para cerca de 4,7 milhões de toneladas", afirmou o diretor administrativo, Jonathan Kingsman, durante uma apresentação particular a clientes, antes de um jantar em Londres reunindo representantes do setor de açúcar.

"Cuba perdeu potencialmente 0,3 milhão de toneladas de açúcar. Os EUA também perderam uma quantidade semelhante devido os danos causados pelo furacão em Louisiana e no Texas", informou ele.

Kingsman acrescentou que o tempo úmido diminuiu o ritmo de colheita nas principais regiões produtoras de cana no centro-sul do Brasil, o maior produtor e exportador mundial de açúcar, e a produção ficou abaixo dos níveis do ano passado.

"Nós estamos (agora) com uma produção de açúcar quatro por cento menor em relação ao período anterior", afirmou a consultoria.

Ele também declarou que a crise financeira global estava criando problemas para usinas brasileiras que buscavam crédito para expansão.

"Com os problemas de crédito, nós não acreditamos que a indústria brasileira estará pronta para aumentar sua capacidade de moagem em altos níveis".

Segundo a consultoria, a previsão de déficit de 4,7 milhões precisará ser revisada, caso a produção da Índia --segundo maior produtor mundial de açúcar-- em 2008/09 seja corrigida para uma quantidade inferior.

"Se nós revisarmos a estimativa da safra indiana para 20 milhões de toneladas (contra a previsão atual de 22 milhões de toneladas), isso resultará em um déficit (global) de 6-7 milhões de toneladas".

Como a Índia passou de exportadora para importadora de açúcar, cerca de 2 milhões de toneladas dos estoques do Brasil, Tailândia e Austrália serão utilizados para compensar o déficit.

"A queda das taxas de frete estão ajudando a transferir os estoques dos países produtores para os destinos", explicou Kingsman.

"O mundo está perdendo 4 milhões de toneladas das exportações de açúcar indiano", complementou. "Os preços (domésticos) da Índia estão altos e as importações estão acontecendo".

O Brasil já fechou entre 300 e 400 mil toneladas de açúcar bruto para a Índia, que devem ser entregues nos próximos dois meses, disse um executivo sênior da Cosan (CSAN3.SA) CZZ.N à Reuters após a apresentação.

O diretor comercial, Carlos Murilo de Mello, informou que o acordo para vender açúcar da região centro-sul do Brasil foi fechado nos últimos dois meses.

Kingsman afirmou que, apesar da turbulência financeira, ele prevê que o crescimento no consumo global do produto deve permanecer estável em aproximadamente 2,5 por cento ao ano.

A consultoria também estima um déficit global de etanol de 81 milhões de litros em 2008, comparado à projeção anterior que previa um excedente de 175 milhões de litros. Em 2007, a estimativa era de 1,77 bilhões de litros excedentes.

O aumento na produção dos EUA e do Brasil é mais que compensada pela elevação do consumo nos dois países e na Europa, em menor grau.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below