Investimento no país deve ter "suave" desaceleração, diz BNDES

quarta-feira, 2 de julho de 2008 14:29 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Os investimentos no país apresentam uma tendência suave de desaceleração, segundo avaliação do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

De acordo com o novo indicador antecedente de atividade da instituição, o consumo aparente de bens de capital cresceu 19,8 por cento no acumulado em 12 meses até junho, uma queda frente aos patamares registrados em maio (22,3 por cento) e abril (23,2 por cento).

O indicador, divulgado nesta quarta-feira, é apurado com base nos dados do sistema de Financiamento de Máquinas e Equipamentos (Finame) do banco e será divulgado mensalmente.

"Achamos que os bens de capital atingiram o teto e estão em um processo suave de desaceleração", afirmou o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, a jornalistas.

"O movimento é natural porque o crescimento era muito forte. É compreensível e desejável um desaceleração suave para garantir o crescimento sustentável", acrescentou.

A redução no ritmo de crescimento dos investimentos está sendo puxada, segundo o BNDES, pelos setores de bens de capital para transporte e de uso misto, que respondem por 85 por cento da queda.

"O boom de caminhão, ônibus, foi muito forte e rápido. Isso é mais um acerto estatístico por conta de uma base forte. O importante é que a demanda de bens de capital continua elevada, apesar da desaceleração", declarou o superintendente da área econômica do BNDES, Ernani Teixeira.

PIB

Apesar da desaceleração dos investimentos, o BNDES projeta uma expansão do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro entre 5 por cento e 5,5 por cento neste ano. A estimativa feita no início do ano apontava para um crescimento de "pelo menos" 5,5 por cento.   Continuação...