Itália alerta para controle emergencial da Alitalia

quarta-feira, 2 de abril de 2008 10:20 BRT
 

Por Deepa Babington e Giselda Vagnoni

ROMA (Reuters) - O ministro da economia da Itália, que supervisiona a venda da Alitalia, disse que a única alternativa além do atual acordo de venda para a Air France-KLM é coloca a companhia aérea sob administração emergencial pelo governo.

As duas companhias aéreas concordaram com a aquisição há mais de duas semanas para salvar a empresa italiana, mas o acordo está perto do fracasso por causa da oposição de sindicalistas, da operadora do aeroporto de Milão e do candidato a primeiro-ministro Silvio Berlusconi.

Os sindicatos reúnem-se com as duas companhias aéreas na quarta-feira, prazo final para a obtenção de acordo com os trabalhadores.

O ministro da Economia, Tommaso Padoa-Schioppa, excluiu uma proposta de aquisição da companhia aérea por empresários do país, como sugerido por Berlusconi, chamando a possibilidade de "impossível" e não uma solução para uma empresa que precisa de profunda restruturação.

"Se a oferta da Air France-KLM fracassar, ficaremos sem a única oferta de aquisição", disse Padoa-Schioppa a uma junta parlamentar sobre a Alitalia.

A crise da companhia aérea virou um dos assuntos mais importantes na corrida eleitoral no país que tem votação marcada para 13 e 14 de abril.

"Seria um destino amargo se a companhia, prejudicada por anos de relacionamentos perversos com políticos, sofresse um golpe mortal pela exploração eleitoral ou pela falta de um acordo com os sindicatos", afirmou o ministro.

Padoa-Schioppa, cujo ministério aprovou a venda da participação estatal de 49,9 por cento na Alitalia para a Air France-KLM, tem dito há tempos que a companhia é um escoadouro de recursos que o Estado não pode mais sustentar.

Ele alertou que o governo pode não garantir 300 milhões de euros em empréstimos de ligação que a Alitalia precisa para sobreviver nos próximos meses a menos que o acordo com a Air Fracen-KLM seja fechado. A União Européia vetou qualquer auxílio estatal à Alitalia.