Nova Orleans avalia danos enquanto Gustav perde força

terça-feira, 2 de setembro de 2008 07:44 BRT
 

Por Matthew Bigg e Tim Gaynor

NOVA ORLEANS (Reuters) - A cidade de Nova Orleans, ainda bastante deserta, se preparava na terça-feira para avaliar os danos causados pelo furacão Gustav após os diques da cidade, reconstruídos após a passagem do furacão Katrina em 2005, terem evitado a repetição das enchentes provocadas pelo furacão de três anos atrás.

O Gustav ia em direção ao coração da área petrolífera da porção norte-americana do Golfo, mas os preços do petróleo e do gás natural despencaram quando o Gustav perdeu força antes de chegar ao continente, poupando as instalações petrolíferas

Os ventos não só diminuíram de velocidade, mas também continuaram indo para o oeste, deixando de passar por Nova Orleans, o que fez com que não se transformasse na tempestade-monstro que se temia dias atrás.

No início de terça-feira, o Gustav enfraqueceu e se transformou em uma depressão tropical, causando chuvas no oeste de Lousiana, segundo o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos.

A tempestade testou o sistema de diques que ainda está sendo reconstruído depois do Katrina. As pessoas ficaram acordadas a noite toda, à procura de sinais de uma tormenta parecida com a de três anos atrás, quando 80 por cento de Nova Orleans foi inundada e milhares ficaram ilhados.

Mas o prefeito de Nova Orleans, Ray Nagin, disse que os moradores podem começar a voltar para a cidade no fim da semana. Enquanto o toque de recolher ainda vigora na cidade, autoridades avaliam os danos causados pelo furacão na terça-feira, além de começar a permitir que os negócios sejam retomados na quarta-feira.