Pessimismo ganha espaço e Bovespa cai 3,6%

quarta-feira, 2 de julho de 2008 17:54 BRT
 

Por Aluísio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - Forte queda nos preços de commodities metálicas, escalada do petróleo, medo de falência da General Motors. Num mercado já combalido pela expectativa de inflação e juros em alta, o noticiário patrocinou uma nova onda de vendas de ações que levaram a Bolsa de Valores de São Paulo ao menor nível desde março.

Arrastado por quedas profundas nos setores de mineração e siderurgia, o Ibovespa tombou 3,61 por cento nesta quarta-feira, para 61.106 pontos. O giro financeiro na bolsa foi de 6,32 bilhões de reais.

"O noticiário do dia aprofundou a preferência dos investidores em fazer caixa, num momento de grandes incertezas", disse Hamilton Moreira, analista sênior do BB Investimentos.

A onda vendedora começou pela manhã com mineradoras e siderúrgicas exibindo quedas pronunciadas na Europa, após uma derrocada nas cotações do carvão por análises de que os preços de commodities minerais devem passar por uma forte correção.

A tendência foi acompanhada no Brasil, onde empresas desses setores lideraram as perdas do pregão.

As ações de pior desempenho no índice foram as ordinárias da Companhia Siderúrgica Nacional, desabando 7,5 por cento, para 63,20 reais. Pouco atrás apareceram as preferenciais da Vale, com perda de 5,7 por cento, a 43,40 reais.

A alta do barril do petróleo para o recorde de 143 dólares adicionou pessimismo aos negócios, em meio a expectativas de mais pressões inflacionárias e de juro alto. Mesmo com o petróleo em alta, o mercado não perdoou nem as preferenciais da Petrobras, que caíram 4,6 por cento, a 43,98 reais.

O clima ficou ainda pior quando o Merrill Lynch emitiu um relatório com previsões pessimistas para a montadora GM, não descartando a possibilidade de falência.

O documento semeou doses de nervosismo em Wall Street, onde o índice Dow Jones caiu 1,46 por cento, acumulando 20 por cento de queda desde seu último recorde de alta, alcançado em outubro de 2007.

Entre especialistas do mercado, um só consenso: a Bovespa pode cair ainda mais. Esse foi o teor de um relatório divulgado nesta quarta-feira pelo Citi, prevendo que o Ibovespa vai cair para a faixa dos 60 mil pontos devido à deterioração das perspectivas macroeconômicas do Brasil com a combinação de inflação e juros em alta.