Meirelles defende metas de inflação a uma semana do Copom

terça-feira, 2 de setembro de 2008 13:55 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - Uma semana antes da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, fez uma defesa veemente do regime de metas de inflação.

"O regime de metas de inflação é o melhor modelo do mundo", afirmou nesta terça-feira durante evento em São Paulo, contestando a tese de que o ciclo de alta do juro seria inócua diante de uma inflação "importada" da escalada mundial das commodities.

De acordo com Meirelles, o canal externo de aumento das commodities é um item importante, mas o consumo doméstico aquecido adiciona certa complexidade ao processo.

O ex-presidente do BC Armínio Fraga, presente ao mesmo evento, salientou que a demanda por crédito está evoluindo em ritmo preocupante. "Uma taxa de crescimento do crédito acima de 30 por cento ao ano dificulta o trabalho do BC", afirmou.

O raciocínio foi rebatido pelo vice-presidente da República, José Alencar. "Há um diagnóstico seguro de que a pressão inflacionária hoje é provocada pelas commodities. Não é o aumento do juro que vai conter essa pressão", afirmou, logo em seguida. Para Alencar, o Brasil ainda possui um enorme contingente de pessoas que consomem apenas o básico. Portanto, uma taxa de juro mais alta não funcionaria para inibir o consumo.

"Combate à inflação se faz com equilíbrio fiscal e esse equilíbrio é prejudicado em parte por causa das altas taxas de juros, que aumentam o peso do serviço da dívida pública", disse a jornalistas que acompanhavam o evento.

(Por Aluísio Alves)