Inflação em SP desacelera em agosto dentro do previsto, 0,38%

quarta-feira, 3 de setembro de 2008 07:01 BRT
 

 SÃO PAULO (Reuters) - A inflação ao consumidor em São Paulo
desacelerou exatamente em linha com o esperado em agosto,
refletindo uma queda nos preços dos alimentos após as fortes
altas recentes.
 O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) subiu 0,38 por cento
no mês passado, ante alta de 0,45 por cento em julho, informou
nesta quarta-feira a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas
(Fipe).
 Economistas consultados pela Reuters previam uma taxa de
0,38 por cento, segundo a mediana de 21 prognósticos, que
oscilaram de 0,32 a 0,45 por cento.
 Os custos do grupo Alimentação declinaram 0,49 por cento em
agosto, após subirem 1,07 por cento em julho. A queda reflete
principalmente os menores custos de carnes e de produtos in
natura, que vinham em alta nos últimos meses devido a problemas
de oferta. Há também um alívio vindo da desaceleração das
commodities agrícolas nos mercados internacionais.
 Outro grupo com variação negativa de preços no mês foi
Vestuário, de 0,38 por cento, em um movimento sazonal, após a
baixa de 0,03 por cento em julho.
 Dos sete grupos que formam o IPC, cinco tiveram variações
menores de preços. As acelerações vieram de Educação e de
Habitação. Esse último reflete o reajuste da tarifa de energia
elétrica.
 O dado da Fipe é mais um índice de inflação a mostrar
arrefecimento desde a passagem do primeiro semestre para o
segundo, mas isso não deve mudar o ritmo do aperto monetário do
Comitê de Política Monetária (Copom), que, segundo analistas,
irá preferir ver também sinais de desaceleração da atividade
econômica antes de diminuir a alta do juro.
 Os economistas prevêem que a taxa básica de juro Selic seja
elevada mais uma vez em 0,75 ponto percentual na próxima
quarta-feira.
 O IPC mede a variação dos preços no município de São Paulo
de famílias com renda até 20 salários mínimos.
 (Reportagem de Vanessa Stelzer)