BOVESPA-Mineração puxa perdas do índice; OGX despenca e JBS sobe

quarta-feira, 2 de julho de 2008 15:36 BRT
 

SÃO PAULO, 2 de julho (Reuters) - A Bolsa de Valores de São Paulo aprofundava as perdas na tarde desta quarta-feira, a reboque da forte desvalorização de ações dos setores de mineração e siderurgia.

As ações da OGX Petróleo e Gás apareciam entre as líderes de perdas, enquanto as da JBS davam um salto.

Às 15h30, o Ibovespa .BVSP recuava 2,3 por cento, para 61.920 pontos. O volume financeiro na bolsa atingia 4,16 bilhões de reais.

Entre as maiores quedas do índice estavam ações de empresas fabricantes de aço. Segundo operadores, o movimento seguia a tendência internacional do setor, que puxou mais uma sessão de perdas nas bolsas européias.

Em destaque, os papéis preferenciais da Usiminas (USIM5.SA: Cotações) perdiam 5,4 por cento, valendo 71,35 reais. As preferenciais da Gerdau GGBR4.SA tinham recuo de 5,55 por cento, cotadas a 36,45 reais.

As ordinárias da Companhia Siderúrgica Nacional (CSNA3.SA: Cotações) saíam a 64,98 reais, com declínio de 4,9 por cento. Na mesma toada, as preferenciais da Vale (VALE5.SA: Cotações) tinham desvalorização de 4,0 por cento, avaliadas em 44,20 reais.

Em relatório divulgado nesta quarta-feira, o Citi previu que o Ibovespa vai cair para a faixa dos 60 mil pontos, devido à deterioração das perspectivas macroeconômicas do Brasil, pontuada pela combinação de inflação e juros em alta.

"Desde que o Ibovespa atingiu o pico de 73.516 pontos, em maio, o consenso das expectativas de inflação do país em 2008 subiu de 5,24 por cento para 6,3 por cento, enquanto a previsão para a Selic avançou de 13,5 por cento para 14,25 por cento", diz trecho do relatório assinado pelo analista Geoffrey Dennis.

Segundo ele, o espaço para quedas ainda maiores do índice devem se limitado no curto prazo, devido ao peso elevado no Ibovespa de empresas ligadas a commodities --que devem seguir com preços elevados enquanto o dólar se mantiver enfraquecido.   Continuação...