Amorim prevê saída negociada para conflito com Farc

quarta-feira, 2 de julho de 2008 20:40 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - Ao se manifestar sobre o resgate de 15 reféns da guerrilha na Colômbia, o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, afirmou nesta quarta-feira que tem a expectativa que o fato seja um prenúncio da paz no país vizinho.

"Esperamos que isso contribua para uma rápida pacificação da Colômbia. O governo brasileiro felicita o governo colombiano por uma operação que libertou (a ex-senadora) Ingrid Betancourt e outros 14 reféns sem que tenham havido mortes, o que obviamente é muito positivo", disse Amorim a jornalistas no Planalto depois de se reunir com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Para o chanceler, está muito claro que as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) estão enfraquecidas e que o resgate desses sequestrados representa uma oportunidade para que haja uma saída negociada para o conflito.

"É uma ferida na América do Sul", disse.

Amorim comentou que sabia que poderia haver uma libertação de reféns, inclusive porque em recente encontro com autoridades francesas foi comentada a possibilidade de o Brasil ajudar de forma indireta no processo, mas não tinha conhecimento da data e da forma.

"As informações de inteligência foram muito bem guardadas", declarou.

Lula e Amorim receberam a notícia do resgate quando se reuniam com He Guoqiang, membro do Partido Comunista da China. Lula, segundo Amorim, reagiu à notícia exclamando um "que ótimo".

O presidente também divulgou nota em que prevê que o resgate desta quarta-feira seja um passo importante para a libertação dos demais reféns.

(Reportagem de Fernando Exman)