Venezuela denuncia na ONU "loucura guerreira" dos EUA

terça-feira, 2 de outubro de 2007 20:52 BRT
 

CARACAS (Reuters) - A Venezuela criticou duramente os Estados Unidos perante a Assembléia Geral da Organização das Nações Unidas na terça-feira, depois de uma incomum reunião entre os dois países no dia anterior, na qual foi analisada a possibilidade de que um alto representante diplomático de Washington viaje a Caracas.

O chanceler venezuelano, Nicolás Maduro, manteve um encontro "muito cordial" com o secretário-adjunto de Estado norte-americano para Assuntos do Hemisfério Ocidental, Thomas Shannon, que expressou seu interesse em visitar o país sul-americano apesar da longa disputa política, segundo um comunicado do Ministério das Relações Exteriores da Venezuela.

Entretanto, horas depois, Maduro denunciou em seu discurso perante a Assembléia Geral da ONU "a loucura guerreira" dos Estados Unidos, ao mesmo tempo que defendeu seu aliado Irã, com quem o governo do presidente Hugo Chávez tem estreitado os vínculos políticos e econômicos.

"A loucura e a ambição pelos recursos naturais do mundo levou a elite dos Estados Unidos a empreender uma guerra insensata e irracional (contra o Iraque)", disse Maduro em declarações transmitidas pela televisão estatal.

Maduro criticou o investimento de 610 bilhões de dólares para financiar uma guerra que deixou um saldo de 600.000 iraquianos e 3.600 norte-americanos mortos, em vez de empregar esses recursos na construção de milhões de casas, escolas e hospitais nos países pobres.