Protesto antigoverno na Geórgia reúne 40 mil

sexta-feira, 2 de novembro de 2007 12:42 BRST
 

Por Margarita Antidze

TBILISI (Reuters) - Cerca de 40 mil pessoas exigiram eleições antecipadas na Geórgia durante um protesto nesta sexta-feira contra o presidente Mikhail Saakashvili. O evento é a maior manifestação de descontentamento público desde a revolução de 2003 que o levou ao poder.

Simpatizantes da oposição reuniram-se na frente do prédio do Parlamento -- palco dos decisivos eventos na pacífica revolução de quatro anos atrás -- e disseram que não sairão de lá até que suas exigências sejam cumpridas.

"Queremos que o nosso povo seja o mestre do nosso país, não os escravos", disse Shalva Natelashvili, uma das líderes do bloco de oposição. "Queremos um governo que sirva a seu povo e não vice-versa como é agora."

Os líderes do protesto exigem que Saakashvili abra discussões com eles até a noite de sexta-feira. Entre as exigências estão eleições parlamentares antecipadas e um maior monitoramento da oposição no pleito.

Saakashvili, que quer integrar a Geórgia na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e na União Européia (UE), frequentemente fala de suas credenciais democráticas, mas críticos dizem que isso é fachada para a intolerância dele com dissidentes e alguns abusos aos direitos humanos durante seu governo.

A campanha da oposição não questiona a tomada pró-Ocidente do presidente, mas nutri-se da preocupação com o padrão de vida -- que não subiu com a rapidez que os georgianos esperavam depois da revolução.

A oposição quer que as eleições parlamentares aconteçam no começo de 2008, em vez de mais no final do ano.