Índices da Ásia caem com preocupação sobre economia global

quarta-feira, 2 de janeiro de 2008 07:54 BRST
 

Por Jacqueline Wong

CINGAPURA (Reuters) - As bolsas de valores da Ásia encerraram em queda nesta quarta-feira, em uma sessão cautelosa pressionada por perdas em Wall Street e temores quanto à economia mundial. O clima levou as cotações do petróleo e do ouro a manterem-se perto de níveis recordes.

O petróleo subiu acima dos 96 dólares o barril, depois que uma nova onda de violência na Nigéria, importante exportadora do produto, alimentou receios sobre oferta da commodity, enquanto tensões no Paquistão continuam a motivar investidores a buscarem ativos menos arriscados.

Uma recente série de decepcionantes indicadores econômicos e instabilidades geopolíticas geradas pelo assassinato da líder de oposição e ex-premiê do Paquistão Benazir Bhutto deixaram os investidores mais cautelosos. O Paquistão deve definir nesta quarta-feira uma nova data para as eleições previamente marcadas para 8 de janeiro, o que cria temores de uma nova onda de violência e revoltas.

Com a retomada dos negócios após as festas de fim de ano, ações de mineradoras como a BHP Billiton ajudaram a incentivar o mercado australiano, mas as principais bolsas da região Ásia-Pacífico encerraram a sessão em queda. Tóquio ainda continua fechada pelo feriado de Ano Novo.

O índice MSCI, que reúne as principais bolsas da região menos o Japão, caía 0,7 por cento, a 526 pontos, às 7h35 (horário de Brasília).

"Temos que ser muito cuidadosos este ano. Todo mundo tem sido profundamente afetado e sabe que há um grande preço a se pagar. O primeiro trimestre será agitado", disse a diretora da divisão de ações do Macquarie, Lucinda Chan.

A bolsa da Austrália encerrou em alta de 0,21 por cento, mas os mercados em Hong Kong, Taiwan, Coréia do Sul e Índia fecharam em queda de 0,9 a 2,3 por cento.

O mercado em Cingapura também encerrou em queda, depois de uma surpreendente contração da economia exportadora no quarto trimestre.

"Isso sinaliza que veremos alguma redução no crescimento da região, o que está em linha com toda a turbulência dos mercados financeiros", disse David Cohen, economista da Action Economics.

REUTERS AAJ CS