Aliados ameaçam travar CPI se Álvaro Dias ficar na comissão

quinta-feira, 3 de abril de 2008 12:25 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - Aliados do governo cobraram nesta quinta-feira que o senador Álvaro Dias (PSDB-PR) deixe a CPI dos Cartões Corporativos. Caso contrário, ameaçam travar os trabalhos da comissão.

"Ou o senador Álvaro Dias deixa esta comissão ou, por falta de condições políticas de perguntar qualquer coisa a qualquer um, a base do governo não vai votar mais nada aqui, nenhum requerimento", disse o deputado Silvio Costa (PMN-PE). Há cerca de 35 requerimentos para serem analisados.

O líder da bancada tucana, senador Arthur Virgílio (PSDB-AM), disse que Dias, que é suplente na comissão, permanecerá na CPI.

"Em nome da ética, não retiro. Em nome da ética, exijo explicações por parte da ministra Dilma Rousseff (Casa Civil)", disse Virgílio. A ministra confirmou que sua pasta realizou um levantamento dos gastos com cartões corporativos do atual governo e do anterior, mas descartou a confecção de um dossiê.

À CPI, o senador Álvaro Dias voltou a confirmar nesta quinta-feira que teve acesso aos dados que mostram os gastos sigilosos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

"Não fui eu (que vazei) não me cobrem autores de informações, busquem no Palácio do Planalto pelos responsáveis por este crime. E, mesmo assim, desde quando é crime divulgar um crime à imprensa?", afirmou. Ele relatou que a primeira pessoa para quem avisou sobre os dados foi Fernando Henrique.

Após mais de uma tentativa frustrada de convocação de Dilma pela CPI, a Comissão de Infra-Estrutura do Senado aprovou a convocação da ministra para dar explicações sobre o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Um acréscimo ao pedido, para que ela falasse também sobre o suposto dossiê, chegou a ser aprovado, mas, depois de protestos dos governistas, foi retirado.