FMI alerta Congo sobre empréstimo de US$5 bi da China

quarta-feira, 3 de outubro de 2007 16:19 BRT
 

KINSHASA, 3 de outubro (Reuters) - O Fundo Monetário Internacional alertou o Congo nesta quarta-feira para tomar cuidado com os efeitos macroeconômicos de um planejado empréstimo de 5 bilhões de dólares concedido pela China, destinado a modernizar o setor de mineração e a decadente infra-estrutura do país africano.

O governo do presidente Joseph Kabila anunciou planos, no mês passado, de um enorme empréstimo vindo da China, que seria pago parcialmente em concessões de mineração e pedágios de estradas e rodovias.

"Nós precisamos estar atentos aos impactos de tal projeto", afirmou o representante do FMI no país, Xavier Maret, em uma coletiva de imprensa na capital da República Democrática Congo, Kinshasa.

"Não estamos falando sobre uma pequena quantia: estamos falando sobre uma quantia muito grande que não terá impactos insignificantes nas importações, exportações, e eu diria até mesmo na taxa de câmbio... (e) em termos orçamentários."

Maret revelou ter expressado estas preocupações, que são compartilhadas pela comunidade internacional, com o governo congolês, que assegurou a ele que o acordo com a China não colocou em risco a associação do país com outros parceiros.

O Congo, rico em minerais, luta para superar uma devastadora guerra (1998-2003) e décadas de má administração governamental sob o comando do ex-ditador Mobutu Sese Seko, que deixou grande parte do país em ruínas.

"O FMI não se opõe à busca de novos financiamentos para executar uma estratégia de redução de pobreza, mas as condições sob as quais isso é feito e os impactos macroeconômicos são muito importantes para nós", concluiu Maret.