October 23, 2007 / 1:52 AM / 10 years ago

Santelisa investirá R$ 3 bilhões em usinas de açúcar e álcool

4 Min, DE LEITURA

Por Inaê Riveras

SÃO PAULO, 3 de outubro (Reuters) - A Santelisa Vale, segunda maior produtora de açúcar e álcool do Brasil, divulgou na quarta-feira que pretende investir cerca de 3 bilhões de reais nos próximos três anos para construir novas usinas e expandir as cinco já existentes.

A empresa, resultado de uma fusão entre os grupos Vale do Rosário e Santa Elisa, planeja abrir seu capital, possivelmente até o fim de 2008.

"Creio que está surgindo uma grande companhia, que tem um projeto de crescimento muito forte para os próximos anos", disse por telefone o diretor-presidente da Santelisa, Anselmo Lopes Rodrigues. Antes, ele havia anunciado numa entrevista coletiva em Sertãozinho (SP), a conclusão do processo de fusão, que levou oito meses.

O principal acionista da Santelisa é a família Biagi, com 72 por cendo do capital, seguido pelo banco de investimentos norte-americano Goldman Sachs (GS.N), com uma participação de 17 por cento.

Entre os investimentos planejados estão 2,5 bilhões de reais em usinas que estão sendo construídas pela Companhia Nacional de Açúcar e Álcool (CNAA), empresa criada pela Santelisa e investidores como Carlyle Group CYL.UL e Riverstone Holdings LLC.

A Santelisa tem quase 28 por cento na CNAA, que atualmente constrói três usinas em Minas Gerais e outra em Goiás.

Duas delas vão começar a operar no ano que vem e as outras duas em 2009. Casa usina terá capacidade para processar 2,5 milhões de toneladas de cana/ano, podendo ser dobrada.

A Santelisa também está investindo em uma nova usina em Goiás junto com o grupo Maeda, que deve começar a operar em abril de 2008. A capacidade inicial será de 2,5 milhões de toneladas por ano, também podendo ser dobrada até 2010.

Além disso, ela tem planos de expandir a sua usina Continental, em São Paulo, que iniciou produção esta temporada, com uma capacidade atual de 2,1 milhões de toneladas por ano.

A Santelisa é a maior acionista da Crystalsev, que em julho anunciou uma joint-venture com a norte-americana Dow Chemical (DOW.N) para produzir plástico a partir da cana.

Essas ações devem preparar a empresa para dar seu próximo passo: abrir seu capital, provavelmente na Bovespa .BVSP, disse Rodrigues.

"É um caminho bastante claro para a gente, e devemos caminhar nesse sentido nos próximos meses, no próximo ano com certeza", afirmou.

Antes de decidir pela fusão com a Santa Elisa, o grupo Vale do Rosário rejeitou várias ofertas de compra, de empresas como a maior produtora brasileira de açúcar e álcool, a Cosan CSAN3.SA, e a gigante Bunge Ltd.(BG.N).

Apesar da decisão dos acionistas minoritários da Vale na época de recusar essas ofertas e de comprar o controle da empresa, para fundi-la à Santa Elisa, Rodrigues afirmou que a companhia está sempre "aberta a novas parcerias", mesmo com empresas estrangeiras.

"Estamos sempre receptivos a bons parceiros. Não temos objeção a novas parcerias, se interessante para as duas partes", afirmou.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below