Equador quer cancelar contrato com Petrobras

quinta-feira, 3 de abril de 2008 18:30 BRT
 

QUITO (Reuters) - A companhia estatal de petróleo do Equador, a Petroecuador, afirmou na quinta-feira que está tentando cancelar um contrato com a Petrobras, em uma disputa relacionada ao principal bloco operado pela brasileira no país.

A finalização do contrato, que poderia levar a uma apropriação pelo Estado de ativos da companhia no país, levaria meses ou até anos.

Uma decisão final sobre o contrato caberá ao ministro do petróleo do país, Galo Chiriboga.

O presidente do Equador, Rafael Correa, tem feito movimentos para aumentar o controle do Estado sobre os recursos naturais do país desde que assumiu o poder, em 2007.

"Já começamos o processo de finalização", afirmou o presidente da Petrocuador, Fernando Zurita, a jornalistas.

Em 2006, o Equador encerrou o contrato com a norte-americana Occidental Petroleum e aumentou os ativos na nação andina no setor.

A Petrobras, que produz cerca de 35 mil barris por dia no Equador, não estava imediatamente disponível para comentar.

A estatal tem negado qualquer irregularidade no contrato.

Por algum tempo, o Equador tentou renegociar o seu contrato com a Petrobras, para aumentar a participação do Estado no negócio.

Procurada pela Reuters no Brasil, a Petrobras não tinha nenhum executivo imeditamente disponível para comentar o assunto.

(Reportagem de Alonso Soto)