Brasil quer acordos comerciais com Egito, Marrocos, Golfo e Ásia

quarta-feira, 3 de setembro de 2008 18:02 BRT
 

BRASÍLIA, 3 de setembro (Reuters) - O Brasil considera prioritárias as negociações multilaterais para a liberalização do comércio mundial, mas também espera concluir em breve a negociação, via Mercosul, de acordos comerciais com países como Egito, Marrocos além de economias asiáticas e do Golfo.

A diretriz consta do documento "Estratégia Brasileira de Exportação", divulgado nesta quarta-feira pelo Ministério do Desenvolvimento, com uma compilação das metas e programas do governo na área de comércio exterior até 2010.

"O objetivo da estratégia é ampliar a rede de acordos internacionais", afirmou o secretário de Comércio Exterior do ministério, Welber Barral.

Além de aumentar o acesso a mercados, o governo listou como meta aumentar a competitividade --e o valor-- dos bens exportados pelo país e incrementar a venda ao exterior de serviços brasileiros.

A estimativa é de que os investimentos públicos em medidas voltadas à exportação, incluindo de obras em portos até desonerações tributárias, crédito e desburocratização, somem 34 bilhões de reais no triênio 2008-2010.

Com essa despesa, o governo espera contribuir para elevar a participação do Brasil nas exportações mundiais para 1,25 por cento, dos atuais 1,17 por cento, e ampliar o número de micro e pequenas empresas exportadoras em 10 por cento, para um total de 12.100.

O Ministério do Desenvolvimento passará a divulgar pela Internet um acompanhamento trimestral das ações implementadas na área de comércio exterior.

(Reportagem de Isabel Versiani; Edição de Daniela Machado)