AMBEV prevê alta de receita mas recuo de margem no 3o tri

sexta-feira, 3 de outubro de 2008 08:31 BRT
 

SÃO PAULO, 3 de outubro (Reuters) - A cervejaria AmBev AMBV4.SA estima que encerrou o terceiro trimestre deste ano com uma alta de dois dígitos em sua receita ante um crescimento de um dígito percentual no volume vendido em relação ao mesmo período do ano passado. Mas a margem operacional da companhia deve apresentar recuo diante de um crescimento no custo dos produtos vendidos.

A companhia divulgou a previsão nesta sexta-feira, com base nos números fechados dos meses de julho e agosto e última estimativa para setembro. Por isso ela ressalva que "poderá haver diferenças significativas entre os resultados reais para setembro de 2008 e as estimativas".

No terceiro trimestre de 2007, a AmBev teve receita líquida de 4,64 bilhões de reais e margem de lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) de 42,9 por cento.

A maior cervejaria da América Latina informou nesta sexta-feira que estima ter encerrado o terceiro trimestre com um crescimento médio de volume de vendas de cerveja no Brasil de um dígito percentual e refrigerantes com alta de dois dígitos. Na Argentina, a AmBev estima que os volumes de vendas de cerveja cresceram "por volta" de dois dígitos e no Canadá a estimativa é também de alta de um dígito nos volumes.

A empresa informou que sua participação de mercado em cerveja em agosto no Brasil ficou em 67,3 por cento, ante 67,7 por cento no mesmo mês de 2007.

A AmBev estima que o custo de produtos vendidos no terceiro trimestre por hectolitro cresceu acima da média do primeiro semestre do ano, por conta de aumento de custos na subsidiária Quinsa, "que tem sofrido pressões no preços de commodities como aumento de 41 por cento nos preços de cevada e malte em relação ao ano anterior. Os salários em Quinsa também aumentaram devido a maiores taxas de inflação".

Por conta do aumento nos custos de produtos vendidos no terceiro trimestre, "esperamos uma contração de margem Ebitda no trimestre quanto comparado ao mesmo período de 2007".

A companhia divulgou as previsões acompanhando anúncio de estimativas do grupo InBev, do qual faz parte.

A InBev INTB.BR anunciou que suas margens caíram também diante de custos maiores de insumos no terceiro trimestre. As ações da companhia, segunda maior cervejaria do mundo, caíram após o anúncio da previsão e às 8h30 (horário de Brasília), exibiam perda de 4,37 por cento.

(Reportagem de Alberto Alerigi Jr.; Edição de Renato Andrade)