Ações da EADS disparam após acordo com Exército dos EUA

segunda-feira, 3 de março de 2008 11:37 BRT
 

Por Tim Hepher

PARIS (Reuters) - As ações da EADS, controladora da fabricante européia de aviões Airbus, disparavam nesta segunda-feira, depois que a empresa obteve parte de um contrato de 35 bilhões de dólares para fornecimento de aeronaves de reabastecimento para os militares dos Estados Unidos, superando a arquirrival norte-americana Boeing .

Grande avanço da empresa européia no maior mercado militar do mundo, o anúncio do acerto surpreendeu analistas e mesmo representantes da companhia. O acordo também ameaça disparar uma polêmica política em Washington além de representar um desafio à Boeing.

O anúncio também oferece esperanças para os planos de expansão na área militar da EADS, que tem nos últimos anos sofrido custosos atrasos com o lançamento do superjumbo A380, problemas administrativos e fraqueza do dólar que está forçando a companhia a reduzir fábricas na Europa.

Às 11h30 (horário de Brasília), as ações da EADS exibiam alta de 7,9 por cento, enquanto o índice da bolsa de Paris recuava 1,3 por cento.

Incluindo custos adicionais com encomendas extras e serviços de manutenção, o contrato para os aviões de reabastecimento pode ser a segunda compra de aviões militares mais cara nas próximas décadas, superado apenas pelos jatos de combate F-35 Strike Fighter, da Lockheed Martin.

O contrato inicial do avião de reabastecimento conhecido como KC-45, um avião de passageiros A330 da Airbus modificado, cobre quatro aeronaves de teste que custarão 1,5 bilhão de dólares.

Com planos de compra de mais 175 aviões, o valor pode chegar a 35 bilhões de dólares no total, informou a Força Aérea dos EUA.