Superávit comercial cai 71% em fevereiro frente a 2007

segunda-feira, 3 de março de 2008 18:00 BRT
 

Por Isabel Versiani

BRASÍLIA (Reuters) - O superávit da balança comercial brasileira recuou para 882 milhões de dólares em fevereiro, quando as importações voltaram a crescer em ritmo expressivo, mostraram números do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior nesta segunda-feira.

O resultado, que representou uma queda de 71 por cento frente ao saldo positivo de fevereiro de 2007, também ficou abaixo do superávit de 944 milhões de dólares registrado em janeiro, até então o mais baixo em cinco anos.

As exportações somaram 12,8 bilhões de dólares e as importações, 11,918 bilhões de dólares no mês passado. Na comparação pela média diária, as vendas externas cresceram 19,7 por cento frente ao mesmo período do ano anterior, e as importações dispararam 56,2 por cento.

O secretário de Comércio Exterior, Welber Barral, afirmou que o saldo dos primeiros meses do ano reflete, além do aquecimento da demanda interna e da renovação do parque industrial brasileiro, uma "oscilação momentânea" --alimentada por fatores como o aumento do preço do petróleo, elevação das importações de automóveis e concentração de embarques de trigo oriundos da Argentina.

Apesar do crescimento bem superior das importações frente às exportações, Barral disse que o governo não trabalha com a projeção de um déficit comercial em 2008.

O secretário confirmou a elevação da meta de exportação do país de 172 bilhões para 180 bilhões de dólares. Se concretizada, representará um crescimento de 12,5 por cento frente aos 160 bilhões de dólares exportados em 2007. O governo não tem meta para as importações.

No ano, a balança acumula agora superávit de 1,826 bilhão de dólares. Analistas do mercado apostam que a conta fechará o ano com saldo positivo de 30 bilhões de dólares, frente ao superávit de 40 bilhões de dólares em 2007, segundo sondagem do Banco Central.

Para 2009, a projeção é de novo recuo, para 25 bilhões de dólares.

Em janeiro, o superávit comercial foi de 944 milhões de dólares --o segundo pior resultado desde junho de 2002, quando o saldo foi de 685 milhões de dólares.