RPT-Minc vê tendência preocupante na Amazônia

terça-feira, 3 de junho de 2008 09:02 BRT
 

(Repete matéria publicada na noite de segunda-feira)

BRASÍLIA, 3 de junho (Reuters) - O novo ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, traçou na segunda-feira um quadro sombrio da Amazônia, dizendo que os dados sobre o desmatamento em abril são preocupantes e que este ano pode ser pior que 2007 nesse quesito.

"O pior está por vir. Agora é o teste", disse Minc a jornalistas, lembrando que historicamente a época de mais devastação é de junho a setembro, quando ocorrem queimadas para preparar a terra para o plantio.

"Acho que será muito difícil ter um número abaixo daquele do ano passado", disse Minc.

Em abril, os dados mostram a destruição de 1.123 quilômetros quadrados de floresta. Em março foram registrados 145 quilômetros, mas a disparidade pode ser explicada pelo fato de que em março havia mais nuvens obstruindo as fotos de satélites.

Minc assumiu o cargo em maio, substituindo Marina Silva, que deixou o governo alegando estar politicamente isolada. ONGs do setor temem que Minc resista menos que Marina aos poderosos lobbies agrícolas e industriais.

Depois de três anos consecutivos de redução do desmatamento, a taxa voltou a subir em 2007. Entre agosto e dezembro foram derrubados cerca de 7.000 quilômetros quadrados da Amazônia. O período coincide com a alta mundial no preço dos alimentos.

"O preço da carne e da soja dispararam. Há uma forte correlação entre o preço da carne e da soja e o desmatamento. Isso é historicamente comprovado no Brasil," disse Minc.

(Reportagem de Ana Nicolaci da Costa)