Empresas buscam mais investimentos em tecnologia fora dos EUA

terça-feira, 3 de junho de 2008 11:34 BRT
 

Por Anupreeta Das

SAN FRANCISCO (Reuters) - Taiwan, Japão e Israel são apenas alguns dos focos de investimento emergentes para a inovação fora dos Estados Unidos, à medida que os grupos de capital para empreendimentos continuam a despejar dólares em novos investimentos, informou uma nova pesquisa divulgada na segunda-feira.

Quase três de cada cinco grupos norte-americanos de capital para empreendimentos, ou 57 por cento, estão investindo fora do país, agora, ante 46 por cento no ano passado, constatou a Global Venture Capital Survey 2008.

A pesquisa afere as opiniões de cerca de 400 empresas de capital para empreendimentos em todo o mundo, entre as quais 163 sediadas nos EUA, e foi conduzida pela Deloitte e pela National Venture Capital Association, uma organização setorial norte-americana.

Ainda que os EUA mantenham sua posição proeminente como líderes mundiais em termos de inovação, Mark Heesen, presidente da National Venture Capital Association, disse que haveria mais atividade nos locais que ocupam o segundo e o terceiro posto da pesquisa.

Os EUA ocupam o primeiro posto em todos os setores avaliados --semicondutores, software, biofarmacêuticos, aparelhos médicos e energia alternativa, ou ecológica.

Mas a Alemanha ocupa o segundo posto na inovação dos setores de energia alternativa e aparelhos médicos. Entre os profissionais de capital para empreendimentos, 15 por cento dizem que Taiwan tem a melhor tecnologia de semicondutores, depois dos EUA. A Índia ocupa o segundo posto na inovação do software, seguida por Reino Unido, Israel e Alemanha.

"Embora os EUA não estejam perdendo terreno, existe uma globalização da inovação em curso", disse Mark Jensen, sócio gerente dos serviços de capital para empreendimentos na Deloitte.

A combinação de talentos e mercados locais levou a gigante da tecnologia IBM a se concentrar mais nas economias emergentes, disse Claudia Fan Munce, diretora-executiva do grupo de capital para empreendimentos da IBM, em entrevista recente.

Ela mencionou Canadá, Peru, Vietnã, Rússia e Irlanda como novos centros de inovação tecnológica, além dos países BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China).