GM fecha fábricas e reduz exposição a carros grandes

terça-feira, 3 de junho de 2008 12:03 BRT
 

Por Soyoung Kim

WILMINGTON, Estados Unidos (Reuters) - A General Motors anunciou nesta terça-feira uma série de passos para cortar postos de trabalho, custos e sua exposição a picapes e utilitários esportivos em resposta ao aumento dos preços da gasolina que a montadora vê agora como permanente.

O presidente-executivo, Rick Wagoner, falando a jornalistas depois de anunciar um plano de reestruturação aprovado pela direção da companhia, informou que a GM fechará quatro fábricas de picapes nos Estados Unidos e adicionar turnos a duas fábricas para produzir mais carros populares.

Além disso, Wagoner disse que a GM está revendo as operações Hummer e que pode vender a marca de utilitários esportivos derivada de veículos militares e que se tornou sinônimo de excesso de consumo de combustível.

"As condições de econômicas e de mercado tornaram significativamente mais difíceis", disse Wagoner, acrescentando que preços maiores de gasolina fizeram com consumidores abandonassem picapes e utilitários mais rápido do que a montadora esperava.

Com isso, Wagoner informou que a companhia aprovou recursos para uma próxima geração de veículos compactos para a marca Chevrolet bem como um novo subcompacto Chevy Aveo, que deve começar a ser vendido nos Estados Unidos em 2010.

A GM também está alocando recursos para o desenvolvimento do Chevy Volt, um veículo totalmente elétrico que a GM espera começar a vender a partir de 2010.

As ações da montadora, que perderam quase 60 por cento de seu valor desde o pico em outubro do ano passado, avançavam 2 por cento no final desta manhã.

Wagoner informou que a GM, acumulou prejuízos de 51 bilhões de dólares nos últimos três noas, não está pronta para detalhar cronograma para um retorno à lucratividade.