3 de Outubro de 2008 / às 20:25 / 9 anos atrás

CONSOLIDA-Visão de que pacote não é panacéia desanima mercados

Por Daniela Machado

SÃO PAULO, 3 de outubro (Reuters) - O megainvestidor Warren Buffett resumiu o sentimento dos mercados financeiros nesta sexta-feira: o pacote de ajuda aprovado nos Estados Unidos não é uma panacéia.

Logo após a aprovação do plano de 700 bilhões de dólares pela Câmara dos Deputados, as principais bolsas de valores caíram fortemente. Para analistas, os sinais persistentes de que a maior economia do mundo caminha para uma recessão e as dúvidas sobre a implementação do pacote ainda justificam nervosismo.

“Não tem motivo para euforia. O pacote não é a redenção dos problemas. Além disso, o plano pode não ter a aderência necessária para atender as necessidades do mercado”, afirmou o diretor da corretora Ágora, Álvaro Bandeira.

O principal índice da Bovespa .BVSP fechou em queda de 3,5, no patamar mais baixo desde março de 2007. O dólar subiu mais de 1 por cento e alcançou 2,046 reais, numa escalada que tomou força nos últimos dias com a falta de liquidez.

“Do lado da liquidez, a aprovação (do pacote) é um alívio. Mas a questão econômica continua, com sinais de fraqueza como os mostrados pelos payrolls hoje”, ressaltou José Francisco de Lima Gonçalves, economista-chefe do banco Fator, lembrando do fechamento de 159 mil postos de trabalho nos EUA somente em setembro.

EUROPA À VISTA

Não bastasse a situação incerta dos bancos nos EUA, analistas lembram que o panorama financeiro da Europa exige atenção ---e, quem sabe, um pacote de ajuda também.

“Ha muita insegurança ainda, e tem um final de semana pela frente. Há muita preocupação com o setor bancário na Europa e lá, diferentemente dos Estados Unidos, não tem consenso sobre as medidas a tomar”, disse Silvio Campos Neto, economista do Banco Schahin.

Nesta sexta-feira, o primeiro-ministro francês, François Fillon, afirmou que “o mundo está à beira de um abismo devido a um sistema irresponsável”.

A frase dá o tom de como devem ser as conversas durante o final de semana, em que líderes europeus buscarão uma resposta para as condições traumáticas do mercado. O presidente da França, Nicholas Sarkozy, deve se encontrar com líderes de Alemanha, Itália e Grã-Bretanha, além de autoridades da União Européia e do presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, no sábado.

Nos últimos dias, fontes afirmaram que a França quer um pacote de ajuda nos moldes dos Estados Unidos. A Alemanha se opôs.

Com reportagem adicional de Aluísio Alves; Edição de Alexandre Caverni

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below