ANÁLISE-Lehman tem pouca opção além de levantar mais capital

terça-feira, 3 de junho de 2008 18:35 BRT
 

Por Joseph A. Giannone

NOVA YORK (Reuters) - Apesar dos esforços para reduzir seu balanço e aliviar um mercado ansioso, o Lehman Brothers tem poucas escolhas além de levantar um novo capital.

As ações do Lehman perderam mais da metade de seu valor no último ano em meio a preocupações que seus negócio com hipotecas e crédito estão em dificuldades.

Na segunda-feira, as ações despencaram após a Standard & Poor's rebaixar o Lehman para "A" e alertou que a avaliação pode cair ainda mais se o Lehman tiver mais grandes baixas.

Agora existe um forte consenso de que o banco precisa levantar novo capital, alimentado em parte por perdas ocorridas com o Lehman tentando diminuir seu balanço.

"Eles são uma grande empresa de operações que estão diminuindo a alavancagem, uma grande seguradora em meio a crise de crédito e o maior jogador vivo no mercado de hipotecas que vem sofrendo danos por anos", disse Brad Hintz, analista Bernstein Research, ex-diretor de finanças do Lehman.

O quarto maior banco de investimento dos Estados Unidos viu suas ações caírem 13 por cento nesta terça-feira em meio a questões renovadas sobre a saúde financeira. O Wall Street Journal divulgou que o banco precisa levantar aproximadamente 4 bilhões de dólares em capital para compensar as perdas do segundo trimestre que excederam as previsões.

O Lehman está considerando levantar capital, afirmou uma fonte perto do assunto, no entanto a fonte negou que o Lehman precise levantar capital. O banco não quis comentar o assunto.

Na tarde desta terça-feira, o Lehman afirmou que terminou o segundo trimestre com mais de 40 bilhões de dólares em liquidez e que não acessa a janela de redesconto do Federal Reserve desde abril. Suas ações, então, reduziram as perdas.   Continuação...