Para reguladores, colapso do Bear mostrou fraquezas

quinta-feira, 3 de abril de 2008 10:07 BRT
 

Por Patrick Rucker

WASHINGTON (Reuters) - O colapso e a venda forçada do Bear Stearns expuseram a perigosa interconectividade do mercado financeiro e a supervisão defeituosa que tem sido feita, escreveram reguladores norte-americanos em discurso preparado para o Congresso nesta quinta-feira.

O colapso do Bear Stearns ocorreu em questão de dias, mesmo com a posse pela empresa de mais capital do que o suficiente para atender os atuais padrões de solidez, devem afirmar os reguladores ao Comitê Bancário do Senado de acordo com cópia do texto obtida pela Reuters.

"Até o momento e incluindo o momento do acordo para ser adquirido pelo JPMorgan Chase, o Bear Stearns tinha um colchão de capital bem superior ao que é requerido pelos padrões da Basiléia", disse o presidente da SEC, órgão regulador do mercado de capitais dos Estados Unidos, Christopher Cox.

O acordo da Basiléia define padrões de reservas para os maiores bancos do mundo, e Cox disse que essa referência precisa ser tornada mais rígida.

Apesar das fortes reservas de capital, os reguladores disseram que trabalharam juntos para facilitar a compra do Bear Stearns pelo JP Morgan Chase .

"Nosso foco não estava na instituição específica, mas na preocupação mais estratégica com as implicações de uma falência", disse o subsecretário do Tesouro para as Finanças Domésticas, Robert Steel.

"A quebra de uma companhia que estava tão conectada a outros pontos de referência do mercado teria causado rachaduras financeiras por Wall Street."