Estado de emergência é transição à democracia, diz Musharraf

sábado, 3 de novembro de 2007 17:51 BRST
 

ISLAMABAD (Reuters) - O presidente paquistanês, Pervez Musharraf, falou à nação neste sábado horas depois de impôr um estado de emergência, dizendo que o terrorismo e o extremismo atingiram um limite e que a soberania do país estava em risco.

O presidente também pediu ao Ocidente compreensão, já que seu país se encontra à beira da desestabilização. Ele afirmou que impôs o estado de emergência como uma forma de completar a transição à democracia.

Musharraf disse que o sistema de governo do país havia sido paralisado por interferências judiciais.

"O Paquistão atingiu um ponto perigoso, e caminha para uma crise interna", disse em um discurso gravado na televisão. "Tudo que está acontecendo é por causa de turbulências internas."

"Temo que se uma ação não for tomada no momento certo, então Deus nos proteja, há uma ameaça à soberania do Paquistão."

Musharraf afirmou que alguns canais de TV ajudaram para o clima de incerteza no país.

Sua decisão de impôr estado de emergência veio enquanto ele aguarda a Suprema Corte decidir se ele pode ou não concorrer às eleições para um segundo mandato mesmo sendo chefe do Exército.