CONSOLIDA-Gasto com construção e setor industrial sofrem nos EUA

segunda-feira, 3 de março de 2008 15:40 BRT
 

NOVA YORK, 3 de março (Reuters) - O setor manufatureiro dos Estados Unidos desabou em fevereiro para o nível mais fraco em quase cinco anos, reforçando os temores de que a maior economia do mundo caminhe para uma recessão. A queda dos gastos com construção em janeiro também desanimava investidores.

O Instituto de Gestão de Fornecimento (ISM, na sigla em inglês) informou nesta segunda-feira que o índice de atividade manufatureira no país caiu de 50,7 em janeiro para 48,3. Foi o resultado mais baixo desde abril de 2003, um mês após o início da guerra no Iraque.

Abaixo de 50,0, o índice significa contração.

Os gastos com construção caíram 1,7 por cento em janeiro, mais que o esperado.

A queda nos gastos com construção para 1,121 trilhão de dólares em janeiro, com ajuste sazonal, foi a maior desde janeiro de 1994 e marcou o quarto recuo seguido do indicador.

Juntos, os relatórios devem aumentar o medo de que a economia dos EUA esteja caminhando para uma recessão --isso se já não estiver em uma.

"O índice do setor manufatureiro está agora em terra de ninguém, entre o crescimento fraco e a recessão, mas os problemas no restante da economia apontam que mais está por vir", disse Ian Shepherdson, economista-chefe para os EUA da High Frequency Economics, em Nova Jersey.

Após dias de notícias fracos sobre a economia, os mercados financeiros passaram facilmente pelos dados desta segunda-feira, principalmente porque o ISM não veio tão ruim como muitos temiam. A expectativa de Wall Street era de uma leitura de 48,0 para fevereiro, segundo pesquisa Reuters.

"Não é um choque", disse Kevin Logan, economista sênior para os Estados Unidos no Dresdner Kleinwort, em Nova York. "As notícias foram imperdoavelmente ruins na semana passada, então as pessoas estavam prontas para algo pior do que realmente houve."   Continuação...