3 de Abril de 2008 / às 19:55 / 9 anos atrás

Térmicas a óleo lideram oferta de energia para 2011 e 2013

RIO DE JANEIRO, 3 de abril (Reuters) - As usinas termelétricas a óleo, consideradas altamente poluentes, vão ofertar a maior parte da energia nos leilões que o Brasil realizará este ano, visando o abastecimento em 2011 e 2013.

Em contrapartida, as térmicas a bagaço de cana devem ofertar o segundo maior volume de energia, e as usinas eólicas começam a ganhar espaço.

As térmicas a gás natural também sinalizam com maior incremento a partir de 2013, quando a produção do insumo promete ser maior no Brasil.

A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) informou em um comunicado nesta quinta-feira que cadastrou 369 novos empreendimentos de energia para o leilão que vai garantir o abastecimento do país em 2011, projetos que somam capacidade instalada de 41.134 megawatts.

Para o leilão com entrega prevista para 2013 foram cadastrados 260 projetos, totalizando 39.468 megawatts.

De acordo com o comunicado, o volume de energia ficou acima das expectativas da EPE, “e isso reforça a posição de que o país terá oferta garantida nos próximos anos”, afirmou o presidente da EPE, Maurício Tolmasquim na nota.

O leilão de novos empreendimentos de energia para 2011 (A-3) está marcado para 17 de junho e o para 2013 (A-5) agendado para 17 de julho.

Para o leilão visando 2011, foram cadastradas 174 usinas termelétricas que operam com óleo combustível, somando 29.632 megawatts. Outras 117 foram cadastradas para o leilão com entrega para 2013, equivalentes a 20.718 megawatts.

Em segundo, em termos de volume de energia, ficaram as térmicas movidas a energia do bagaço da cana, que participarão com 98 projetos no primeiro leilão, totalizando 5.271 megawatts, e com 67 projetos para o segundo leilão, ou 3.804 megawatts.

Os projetos de usinas termelétricas a gás natural aparecem tímidas no leilão A-3, com seis projetos que totalizam 1.674 megawatts, mas dão um salto no leilão com entregas em 2013, com 19 projetos e capacidade total de 5.780 megawatts.

As usinas eólicas ganham cada vez mais espaço, tendo sido cadastrados 63 projetos para o leilão A-3, ou 3.600 megawatts, e 29 para o A-5, com capacidade instalada de 1.336 megawatts.

As pequenas hidrelétricas (PCHs) entraram com 11 projetos, somando 156 megawatts no primeiro leilão, e com cinco projetos com 59 megawatts no leilão para 2013, enquanto apenas uma grande hidrelétrica está prevista, de 480 megawatts no leilão A-5.

Também apenas para o leilão com entregas previstas para 2013 estão duas usinas termelétricas utilizando carvão nacional, que vão gerar 1.192 megawatts, e oito com carvão importado, somando 4.850 megawatts.

Reportagem de Denise Luna; Edição de Roberto Samora

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below